LGPD na comunicação: aplicação no marketing e nas mídias digitais

LGPD na comunicação: aplicação no marketing e nas mídias digitais

Sancionada em agosto de 2018, a Lei Geral de Proteção de Dados tem estado em alta neste início de 2021, afinal, ela entrará em vigor oficialmente em 3 de maio. Sendo assim, empresas de todos os setores encontram-se em momento de adequação às bases legais que envolvem a temática. Neste contexto, é importante entender também o funcionamento da LGPD na comunicação. O que muda nas práticas de marketing e mídias digitais, por exemplo?

O que diz a LGPD

De acordo com a Lei Nº 13.709, sancionada em 14 de agosto de 2018, ela se refere ao tratamento de dados pessoais, inclusive nos meios digitais, por uma pessoa natural ou jurídica. Seja no direito privado ou público, o objetivo é proteger os direitos fundamentais de liberdade e de privacidade. Em resumo, busca o livre desenvolvimento da personalidade da pessoa natural.
Atualmente, os trabalhos de marketing digital, por exemplo, se baseiam em dados colhidos por ferramentas dispostas na internet. Desta forma, é possível escolher as melhores estratégias, o seu público-alvo e ainda criar um relacionamento com ele. Porém, é bem importante se atentar às práticas de LGPD na comunicação justamente por isso, a fim de se proteger e cuidar dos dados colhidos e usá-los de maneira justa e de acordo com a Lei. 
Resumindo, as bases legais são regras que autorizam o tratamento de dados pessoais. Ao entrar em vigor, as empresas devem utilizar todas informações de uma base legal adequada e segura, com permissão. Situações que fujam à essa orientação, serão consideradas ilegais e poderão ser penalizadas por isso.
Leia também: Seja encontrado com Inbound Marketing

LGPD na comunicação

 
Segundo informações da nossa plataforma de marketing digital parceira, a RD Station, os principais cuidados que envolvem a LGPD na comunicação são os relacionados à coleta de informações pela internet. Porém, é importante ressaltar que, não é errado realizar essa forma de marketing, apenas é imprescindível que ao doar seus dados, a pessoa saiba exatamente para o que será utilizado. Por exemplo, se uma agência informar que o e-mail coletado será para envio de newsletters, a ação sempre deverá ser esta. 
Além disso, os especialistas da RD ressaltam que há uma responsabilização dos que fazem o uso e coletas de dados por meios digitais. Entre os apontados nesse contexto estão as agências de comunicação e publicidade, analistas de marketing e co-responsáveis pelas ações realizadas com os dados dos usuários. 

Revisão de procedimentos

Este é o momento de revisar todo o processo realizado internamente, para se adequar e respeitar todas as especificações contidas na LGPD. Para empresas que contam com o auxílio de uma Agência de Comunicação, podem contar com o respaldo da mesma para se alinhar às regras. Para quem realiza seu próprio marketing,  pode ser interessante consultar especialistas que ajudem a se adequar ao processo.